Concursos públicos que ganham insalubridade

Tempo de leitura: 18 minutos

Hoje os concursos públicos são uma das formas de emprego que mais são procuradas pela população em geral por conta dos diversos benefícios que eles oferecem, principalmente em um momento como o que estamos vivendo hoje, onde há uma séria crise econômica e política que parece não chegar nem perto do fim.

E a estabilidade empregatícia, com a impossibilidade de demissão, é um dos fatores mais atraentes dentro dos concursos públicos que são realizados nas mais diversas localidades de todo o território brasileiro.

Afinal de contas, se a estabilidade sempre foi algo buscado dentro de empregos, hoje tem se mostrado mais importante do que nunca, sendo até mesmo um objetivo para muitos profissionais.

Isso porque, principalmente em momentos de crise, conseguir manter a certeza de uma fonte de renda é essencial, porque não importa a situação do país, as contas e despesas não vão deixar de vir e podem até mesmo aumentar.

De quebra, os salários de concursos públicos costumam apresentar uma média maior do que aquela do setor privado, com o adicional de uma série de benefícios extremamente vantajosos, que vão variar de cargo para cargo e também de instituição para instituição. Entre alguns benefícios estão vales transporte, alimentação e refeição, além de auxílios de custo que vão variar de cargo para cargo.

Todo este conjunto atrativo de fatores acaba por tornar os concursos públicos especialmente disputados. Isso porque a combinação de ampla concorrência e prova de difícil realização tornam passar em um concurso algo extremamente difícil.

Por conta desta dificuldade, antes de encarar de frente um concurso, as pessoas param para pensar com cuidado sobre aquela profissão que desejam pleitear. Afinal de contas, estudar e entrar em um concurso para desistir na hora de assumir o cargo porque não era aquilo que você queria é apenas uma perda de tempo e dinheiro.

E os concursos mais disputados são aqueles que oferecem uma combinação entre salários especialmente altos e um bom conjunto de benefícios. E buscando aumentar ainda mais a fonte de renda advinda do cargo público, muitas pessoas procuram ocupações que oferecem ao contratado um ganho para adicional de insalubridade.

O adicional de insalubridade nada mais é do que um direito do trabalhador que garante a este um ganho adicional sobre o seu salário regular em caso de ocupações que o exponham a substâncias que sejam consideradas nocivas à saúde.

Estes ganhos extras podem chegar no bolso do trabalhador em três graus diferentes: mínimo, que concede um adicional de 10%, médio, que conta com um benefício de 20% e máximo, quando o adicional oferecido para o trabalhador é de 40%.

Porém, apesar do suposto risco que o trabalho apresenta, a possibilidade de se ganhar até 40% a mais o que se ganharia, os cargos que contam com um adicional de insalubridade costumam ser bastante concorrido e procurados, já que oferecem salários totais maiores, algo que grande parte da população procura, o que consequentemente aumenta a dificuldade dos concursos, por estes ficarem mais disputados.

Para perceber um dos fatores que comprovam a dificuldade de se entrar em um concurso, basta observar a quantidade de candidatos que largam tudo, inclusive emprego, para se dedicar de maneira exclusiva aos estudos voltados especialmente para quem deseja passar em um concurso público.

Mas a verdade é que estando dentro uma vez, de lá você não sai mais e vai poder desfrutar de todos os benefícios que este tipo de carreira tem a oferecer, desfrutando do seu adicional de insalubridade até a sua aposentadoria, que também é muito boa e atraente, ainda mais quando comparada àquilo que se é oferecido na iniciativa privada.

E foi pensando nisso tudo, e também para ajudar você no processo de escolha é que nós reunimos aqui uma série de profissões que são contempladas por uma série de concursos públicos que são oferecidos pelas mais diversas instituições ao redor do país que são contempladas pelo adicional de insalubridade. Afinal de contas, dinheiro a mais, nunca é demais, não é mesmo?

Aqui é importante fazer um pequeno adendo. Para muitos concursos pode ser que seja necessário que você se mude de sua cidade e até mesmo do seu estado. Portanto, na hora de decidir concorrer por uma vaga, é preciso que você analise todos os detalhes que envolvem o cargo, para que não acabe se arrependendo depois.

Afinal de contas, não é todo mundo que está disposto a ter grandes mudanças em seu dia a dia, como uma mudança drástica que é a mudança para outro estado ou outra cidade, por exemplo.

Técnico em Radiologia

O técnico em radiologia é aquele profissional que vai ser responsável por todo o processo de raio X, orientando o paciente e realizado o exame diversas vezes por dia. Para isso, ao contrário do que muita gente pode pensar, é sim preciso ter uma formação específica para atuar na área, que é de nível técnico.

Como este profissional está exposto durante toda a sua jornada de trabalho sob raios que são extremamente prejudiciais à saúde quando a exposição ocorre em excesso, já que os raios X são radioativos – mas oferecidos numa quantidade que em apenas um exame não causa mal nenhum à saúde, a profissão é contemplada pelo ganho de adicional de insalubridade.

Aqui a insalubridade é considerada de grau máximo, pois a capacidade tóxica dos raios X para o ser humano é extremamente alta, além de este tipo de radiação poder ser extremamente prejudicial a longo prazo. Por conta disso, o adicional de insalubridade para este tipo de profissional é de 40%, valor este que é calculado sobre o valor de dois salários mínimos e que vai aparecer como extra todos os meses na folha de pagamento do funcionário.

Caso seja do seu interesse trabalhar neste ramo, vale a pena buscar concursos que oferecem a possibilidade ao redor do país, principalmente em regiões que costumam sofrer com a falta de profissionais da área da saúde, desde médicos até técnicos para operar aparelhos diversos, como o aparelho de raio X.

Engenheiros

Apesar de grande parte do trabalho com engenharias no geral não envolver o manuseio ou o contato com substâncias que possam ser prejudiciais de alguma forma para a saúde do trabalho, existem alguns setores específicos, principalmente dentro de concursos públicos, nos quais alguns tipos de engenheiros acabam podendo ganhar um adicional de insalubridade que vai variar de cargo para cargo e do nível de exposição do funcionário.

Para exemplificação, um tipo de engenheiro que costuma ganhar um adicional sobre o salário é o engenheiro de petróleo. Isso porque o trabalho nas plataformas de petróleo ou mesmo com o contato com as substâncias que o material libera, pode ser perigoso e até mesmo altamente prejudicial para o profissional, o que faz com que ele possa ganhar um adicional de insalubridade dependendo do setor de atuação dentro desta engenharia.

Outro tipo de engenheiro que pode ganhar um adicional sobre o salário – também dependendo do setor de atuação do profissional e da instituição pública que este trabalha – é o engenheiro químico, pois como o próprio nome já diz, ele pode estar exposto a diversos agentes químicos.

É claro que há engenheiros químicos que trabalham do escritório, o que significa que este não vai ganhar o adicional, ficando o benefício restrito àqueles profissionais que vão a campo e realmente correm riscos por conta do contato com substâncias que podem ser prejudiciais a longo prazo.

Dentro desta categoria também se encaixa o engenheiro de minas e também alguns tipos de engenheiro que trabalhem no setor ambiental de alguma forma, pois ambas as profissões podem apresentar riscos para os profissionais.

Os graus do adicional a ser recebido vão variar tanto de cargo para cargo quando de instituição para instituição, tudo dependendo do grau de periculosidade da exposição do profissional a agentes potencialmente tóxicos.

No geral, como a exposição de um engenheiro a agentes potencialmente contaminantes costuma ser baixa e consideravelmente menor do que a exposição de um técnico do mesmo setor, por exemplo, o adicional de insalubridade que é concedido para estes funcionários da iniciativa pública brasileira costuma ser classificada como insalubridade leve. Isso significa que grande parte dos engenheiros recebe um adicional mensal de 10% em cima do valor que é utilizado para o cálculo base para a concessão do benefício.

Médicos

Os médicos também são uma categoria contemplada com o adicional de insalubridade dentro do serviço público brasileiro em grande parte das instituições brasileiras, principalmente aquelas que trabalham com situações que são consideradas de risco maior, como aquelas nas quais a infraestrutura de trabalho não oferece boas condições de trabalho, como em regiões que possuem pouco acesso à medicina, principalmente aquela advinda da iniciativa pública.

A insalubridade concedida para médicos tem como base a exposição que este profissional tem com agentes patogênicos potencialmente contagiosos, bem como o contato com diversas substâncias hospitalares, como processos de análises químicas e etc, tudo isso ressaltado e mais perigoso quando o local de trabalho não oferece ao profissional a infraestrutura necessária.

Como os riscos de contaminação por meio de substâncias potencialmente perigosas não é tão alto para os médicos, bem como a toxicidade de muitos elementos – em comparação com os raios X que foram mencionados acima, por exemplo – o adicional de insalubridade concedido para médicos da iniciativa pública é considerado de grau leve. Desta forma, os médicos contratados na iniciativa pública costumam ter um adicional de 10% em cima do valor base de cálculo do adicional de insalubridade.

Enfermeiros

Assim como os médicos, muitos enfermeiros que são contratados por meio de concursos públicos têm o direito de receber um valor que é considerado um adicional de insalubridade, já que é uma profissão que, em muitos casos, pode oferecer uma série de riscos ao profissional.

O critério para a concessão do benefício é se o profissional está exposto a elementos que podem ser prejudiciais para a sua saúde. Segundo a classificação do Ministério do Trabalho, possuem o direito de receber um adicional de insalubridade daqueles profissionais que se encontram expostos de maneira potencialmente nociva a agentes que são divididos em três categorias.

São eles os agentes físicos, como ruídos, calor, frio e umidade, agentes químicos, que contemplam poeira, gases e névoas e também os agentes biológicos, que são aqueles a que os enfermeiros podem ficar mais expostos, que contemplam micro-organismos, vírus e bactérias.

Portanto, se você é um enfermeiro e deseja entrar na iniciativa pública, vale dar uma pesquisada para dar preferência a cargos que vão garantir a você o ganho de um adicional de insalubridade.

Afinal de contas, você vai desempenhar a profissão que sempre desempenhou, mas recebendo um adicional pelo risco de contaminação que corre todos os dias. Afinal, só quem é enfermeiro sabe as dificuldades que se passa com a profissão, bem como o medo de ter sido contaminado em determinadas situações.

Não possuem direito: bombeiros e policiais

Há quem pense, por conta do risco que as atividades de bombeiros e policiais apresentem, que estes profissionais contam com o direito de receber um adicional de insalubridade. Afinal de contas, além de arriscar as próprias vidas todos os dias ao sair na rua para atender uma chamada ou mesmo para realizar uma ronda, no caso de policiais, estes profissionais estão em constante contato com substâncias que são tóxicas e potencialmente prejudiciais à saúde destes tipos de profissionais.

Isso porque, se de um lado os policiais sempre estão em contato com substâncias potencialmente perigosas que são oriundas dos processos de apreensão, os bombeiros estão sempre em contato com a fumaça vinda de incêndios, que é extremamente tóxica e pode causar diversos problemas pulmonares, inclusive a morte, além de estarem expostos a diversos outros agentes físicos que podem ser danosos a sua saúde.

Porém, para a surpresa de muitos, tanto bombeiros quanto policiais não são contemplados pelo adicional de insalubridade, mesmo sendo profissionais que são concursados. Afinal de contas, você não manda currículo para ser bombeiro ou policial, já que ambas as profissões só admitem profissionais por meio de concursos específicos que buscam selecionar os melhores profissionais para os cargos disponíveis.

Isso acontece porque tanto os bombeiros quanto os policiais contam com contratos de trabalho que são diferentes daqueles que são comumente oferecidos a outros profissionais exatamente por conta do alto risco que é inerente a estas duas profissões. Portanto, por conta de seu contrato diferenciado que é estabelecido no momento da contratação após a realização do concurso, tanto os bombeiros quanto os policiais não possuem direito a receber o adicional de insalubridade.

Ou seja, se você é bombeiro ou policial – ou deseja entrar em alguma dessas profissões -, é bom já começar consciente que seu contrato será diferente, portanto não estranhe por não receber um adicional de insalubridade ao começar na profissão, mesmo com todos os riscos que ela pode apresentar.

Profissionais de limpeza

Assim como acontece com os engenheiros, alguns profissionais de limpeza específicos que são contratados pela iniciativa pública podem ter o direito de receber adicional de insalubridade por conta do contato com agentes químicos e também com possíveis agentes patológicos.

No caso dos profissionais de limpeza, são contemplados pelo adicional de insalubridade aqueles que são contratados para serem responsáveis pela realização do processo de limpeza de banheiros públicos. Isso porque a profissão acaba por contemplar o contato direito e frequente com uma série de elementos que são contemplados na lei que regulamenta o direito ao recebimento de um adicional de insalubridade.

Aqui a insalubridade é considerada de grau máximo, o que faz com que o profissional responsável pela limpeza de banheiros públicos receba um adicional de 40% sobre um salário mínimo – que costuma ser o salário recebido por este tipo de profissional. Portanto, se você é faxineiro e deseja ingressar na iniciativa pública limpando banheiros, é importante que você saiba que você tem sim o direito de receber um adicional de insalubridade em sua profissão.

Isso porque a atividade contempla o recolhimento diário do lixo que é produzido por uma série de pessoas diferentes, o que faz com que o trabalhador tenha um contato frequente e potencialmente prejudicial com agentes que são nocivos e considerados transmissores de diversas patologias, o que torna o trabalho do profissional consideravelmente arriscado e potencialmente prejudicial a sua saúde.

Aqui vale dizer que o benefício não é concedido para trabalhadores que operam no recolhimento de lixos urbanos, já que o risco de contaminação é consideravelmente inferior do que aquele que é apresentado para que recolhe o lixo e limpa diariamente os banheiros públicos, que contam com grande circulação de pessoas e grande material de origem biológica e potencialmente patogênica.

Profissionais que tenham relação com eletricidade

Se você trabalha com eletricidade de alguma forma e procura um concurso para a sua área de atuação, é importante que você saiba que a sua área de atuação concede a você o direito de receber um adicional de insalubridade sobre um valor que é considerado base para o cálculo.

Isso porque o contato com a eletricidade acaba por oferecer um alto risco para a vida do trabalhador, o que é contemplado na seção de agentes físicos dentro das características que tornam um profissional apto a receber um adicional de insalubridade sobre o seu salário.

Para profissionais que trabalhem neste setor, a insalubridade é classificada como uma de grau médio. Isso significa que, caso você trabalhe com eletricidade para o nosso governo, você tem o direito de receber um adicional de 30% pelos riscos que corre todos os dias ao realizar o seu trabalho.

Trabalhos em período noturno

Muitos concursos que oferecem vagas que contam com um adicional de insalubridade entre os benefícios do empregado contratado são para ocupações que contam com uma jornada de trabalho que é realizada durante a noite, já que este período de trabalho costuma ser considerado mais perigoso do que o período de trabalho convencional.

É claro que o adicional e seu grau – e consequentemente a sua porcentagem – vai variar de cargo para cargo e de instituição para instituição. Mas aqui é preciso saber que tanto homens quanto mulheres que trabalham em determinados cargos noturnos podem sim receber um adicional de insalubridade por conta das situações de risco.

Para ter certeza se o cargo pleiteado oferece ou não um adicional de insalubridade para o profissional contratado é importante ler com calma e atenção o edital do concurso que você deseja prestar.

Profissionais de atuação rural

Alguns concursos buscam profissionais qualificados para atuar em áreas rurais do território brasileiro para as mais diversas ocupações. Consequentemente, estes profissionais acabam sendo expostos – de maneira que pode ser mais ou menos intensa – a condições de trabalho que são consideradas extremas, como muito sol e calor ou mesmo muito frio, dependendo da região que é escolhida.

Desta forma, profissionais que atuam em setores rurais do país e que entram em suas profissões por meio de concursos públicos, contam sim com o direito de receber um adicional de insalubridade como um benefício compensatório pelos riscos que estes correm.

É claro que um profissional que trabalha na área rural, mas que tem um trabalho essencialmente de dentro de um escritório, não vai receber o benefício que é oferecido àquele profissional que atua com pesquisa de campo direta, por exemplo, já que este último está em contato direto – e muito mais do que seria recomendado para a saúde – com condições que podem ser prejudiciais para a saúde, como calor e sol extremos, condições estas que são bastante comuns em áreas rurais do país.

Portanto, aqui vale a mesma dica para funcionários de trabalhos de ocupação noturna. Para saber com certeza se o cargo que você pleiteia vai ou não contemplar a pessoa contratada com um adicional de insalubridade é importante ler com atenção o edital o concurso e as condições de contratação. Só assim você vai conseguir saber se vai ou não ter direito a receber um valor extra que tem a função de compensar riscos que você pode estar exposto durante o seu período de trabalho.

 

Sobre Blog Concursado

Sou ex-Oficial Aviador da Marinha e bacharel em Ciências Militares pela Escola Naval.Sou um dos responsáveis pelo Blog Concursado que já tem 16 anos de história. Venho nesse Blog passar toda a minha experiência, pois já consegui ser aprovado em 33 Concursos Públicos, entre eles Delegado Civil e Federal e tantos outros. A nossa missão e compromisso é ajudar você ser aprovado também.